quarta-feira, 22 de maio de 2013

Inimigo Oculto






Verdade seja dita: a variedade de alimentos de preparo rápido ajudou um bocado a otimizar a rotina - pra lá de corrida - da mulher moderna. Bastam alguns minutinhos no micro-ondas, e pronto! É só servir. Melhor ainda é saber que a maioria desses produtos pode ser encontrada na versão light ou diet. No entanto, a coisa não é tão simples quanto parece.

Quando checamos a embalagem do produto escolhido, buscando o seu valor calórico, quase sempre nos esquecemos de averiguar outro índice importantíssimo, presente na tabela nutricional: o sódio. Você sabia que, se consumido em demasia, esse mineral pode prejudicar a sua saúde e acrescentar quilinhos a mais na balança? "O consumo exagerado do sódio leva à retenção de líquidos.

Como consequência, o corpo fica inchado e pesa mais. A água aprisionada entre as células também reduz a eficiência do sistema linfático. Isso gera uma inflamação local, e logo surge a temida e odiada celulite", afirma Tamara Mazaracki, nutróloga (RJ). "Com o passar do tempo, o excesso de sódio sobrecarrega o organismo e pode causar, ainda, hipertensão arterial, problemas renais, desordens cardiovasculares e, até mesmo, câncer gástrico", alerta Roseli Rossi, nutricionista (SP).

"consumido em excesso, o sal favorece a retenção de líquidos, que acentua a celulite e gera inchaço e aumento de peso "


Nem tanto lá nem tanto cá 

Antes de se assustar, e de declarar o sódio o vilão da vez na sua casa, é importante saber que ele também desempenha funções essenciais ao organismo. "É esse mineral que regula os líquidos extracelulares, assim como o volume de plasma sanguíneo.

Além disso, auxilia na condução de impulsos nervosos e no controle da contração muscular", explica roseli. e não é segredo para ninguém que o sódio é mais encontrado em alimentos artificiais, como no sal de cozinha, onde representa 40% da formulação, que se completa com 60% de cloreto (daí o nome cloreto de sódio). e como as brasileiras gostam de caprichar no tempero da comida, o saleiro está sempre à mesa, pronto para entrar em ação.

Mas o sal também se faz presente naturalmente em alguns alimentos, como carnes bovinas e suínas, leite e derivados, batata e grãos. isso gera um consumo excessivo, claro. segundo informações da organização Mundial de saúde (oMs), a recomendação diária de ingestão de sódio para um adulto saudável é de 2g - o equivalente a uma colher (chá) cheia de sal. no Brasil, no entanto, estudos apontam que o consumo médio diário é de 4 a 6g, ou seja, pelo menos duas vezes mais que o ideal.

Fique de olho na embalagem! 

Atentas ao problema, muitas pessoas já começaram a mudar os hábitos na cozinha, e passaram a controlar a quantidade de sal das receitas. Apesar de ser um bom começo, essa prática ainda é insuficiente para mantê-las protegidas dos excessos. "Além de dar sabor, o sal possui a função de promover maior durabilidade aos alimentos. por isso, é cada vez mais utilizado como conservante pela indústria alimentícia", comenta a nutricionista roseli rossi.

Assim, atenção redobrada na hora das compras. "Modere nos enlatados, conservas, embutidos, sopas e sucos de caixinha, salgadinhos e fast-food", pondera tamara Mazaracki. Ah! outra informação importante: os alimentos light e diet não estão livres desse componente. Afinal, com a redução de açúcar, tiveram que buscar outro meio de estender a validade. e adivinhe só qual foi a substância escolhida? o sal, com certeza.

Diante disso, o jeito é analisar com muito cuidado o rótulo dos produtos. e se você ainda não se convenceu desta urgência, dá só uma olhada nestes números: dois pedaços de pizza congelada, por exemplo, contêm a quantidade de sódio recomendada para um dia todo. oito nuggets (que, quando assados no forno, parecem inofensivos) carregam 5,7g do mineral. impressionante, não se você é daquelas que não abrem mão de um prato cheio de sabor, saiba que existem outras opções de temperos saudáveis e deliciosos. "As ervas, por exemplo, são riquíssimas em propriedades antioxidantes e valor nutricional. por isso, no lugar do sal e de outros temperos prontos, como os caldos em tablete, escolha alternativas naturais, como alho, cebola, salsinha, açafrão, pimenta, cominho, manjericão e orégano, entre outros. e caso precise de um toque de sal, use o produto na versão light, que tem redução de sódio", sugere roseli rossi.

"Há ainda uma mistura chamada gersal, feita com sal e sementes de gergelim torradas. É interessante, porque agrega ao produto os benefícios do ácido linolênico (um tipo de ômega-3) e fibras. porém, também é preciso usar com moderação", completa a nutróloga tamara Mazaracki. e para quem andou exagerando, e quer se livrar daquela sensação incômoda de corpo inchado? "não recomendo o uso de diuréticos sem orientação médica.

A drenagem linfática e o consumo de alimentos com ação diurética suave (como melancia, morango e abacaxi) são boas saídas. o chá de alpiste também ajuda bastante. prepare-o assim: ferva um litro de água com três colheres de sopa de alpiste. coe e beba, quente ou frio", ensina Daniela Hueb, nutróloga (sp).

"beber bastante água é uma arma poderosa contra os efeitos nocivos do sal, pois estimula os rins a funcionarem melhor, eliminando líquidos e substâncias dispensáveis ao corpo"






Fonte: Uol - Corpo a Corpo/Patrícia Affonso