terça-feira, 26 de novembro de 2013

O Laboratório de Plastinção

O Laboratório de Plastinção

aaaA plastinação mediante a utilização de resinas epoxi pode preservar espécimes submetidos a secções de espessura entre 1 e 10mm.
aaaApós a desidratação, degorduramento e a   impregnação forçada dos cortes, por exemplo,   secções totais do corpo humano, são submetidas ao     processo de cura do polímero, efetuado com o   espécime acondicionado em placas de vidro,   denominada câmara plana.
aaaEstes preparados são particularmente úteis porque   apresentam a vantagem de dispor as estruturas       anatômicas respeitando-se suas características       topográficas. Graças ao alto grau de preservação que   o método confere, é possível proceder a estudos   posteriores que envolvam técnicas histológicas de   microscopia de luz ou eletrônica. Estas características explicam e justificam a potencialidade da utilização do método de plstinação em atividades de ensino e pesquisa.
aaaO laboratório foi instalado na Faculdade de Medicina, no primeiro andar, área física atual da disciplina de Topografia Estrutural Humana em 1991. Ocupa duas salas adjacentes, uma indicada para elaboração das fases do preparo do cadáver, para obtenção dos cortes e a seqüência dos processos de desidratação e degorduramento e outra destinada para a etapa de impregnação forçada, preparação de câmaras planas, curagem do polímero e polimento das placas.