segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

O formol, em grandes proporções, pode até tampar as vias respiratórias”

Especialista fala sobre o formol, substância utilizada no processo de alisamento de cabelo que pode causar câncer

Da Equipe Medicando


“O formol, em grandes proporções, pode até tampar as vias respiratórias”


Coordenador do Serviço de Oncologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o oncologista André Márcio Murad fala sobre os malefícios que o formol pode causar. Alisar o cabelo com o produto pode expor consumidores a substâncias prejudiciais à pele. O risco também existe para a cabeleireira que, mesmo com a utilização de luvas na manipulação, inala a formulação.

Portal Medicando: O que é e quais os malefícios que o formol causa no organismo humano?
Dr. André Márcio Murad: O formol é uma droga, uma substancia química tóxica. O formoldeído é um composto líquido que tem várias aplicações, inclusive como em desinfetantes, antisséptico, mas, principalmente, está sendo usando nesses métodos de alisamento capilar. Ele é extremamente tóxico e pode ser prejudicial tanto de forma direta quanto através da inalação porque, na realidade, ele acaba se dissipando pelo ar atmosférico, principalmente, próximo das pessoas que estão manipulando o produto. Dessa forma, ele acaba sendo inalado. Por ser um produto tóxico, assim que entra em contato com a pele, acontece a absorção pela pele, alcançando a rede sanguínea. A substância causa vários efeitos que consideramos de intoxicações agudas. Causa irritação nos olhos, coceira no nariz. Em grandes proporções pode até tampar as vias respiratórias, que chamamos de blocos pasmos. Pode provocar também dor de cabeça, enjoo, náuseas, vômito, dores abdominal. Inclusive, em algumas pessoas que já tem epilepsia, pode levar à convulsão, provocar reações alérgicas, coceira e vermelhidão.

Portal Medicando: Há risco de câncer?
Dr. Murad: Esse é o efeito mais grave. Em laboratório isso já foi documentado pelo menos três tipos de pesquisa, desenvolvidas em animais. Foi verificado que ele é tanto carcinogênico, que causa câncer, quanto é peratogênico, ou seja, a exposição de uma mulher grávida ao formol pode determinar a má formação do feto. Isso sem contar as células, por exemplo, de animais que são expostas ao formol em laboratório. Há um dano da estrutura do DNA dessa célula. Então, quando o DNA é danificado pode eventualmente ocorrer a mutação dos genes responsáveis pelo alto crescimento das células e pelo controle desse processo. Então, quando esses genes são alterados, quando a estrutura molecular é alterada, há o funcionamento de forma errada e isso pode precipitar um crescimento descontrolado das células, o que na verdade, acaba sendo o câncer.

Portal Medicando: Isso já é confirmado cientificamente?
Dr. Murad: É, isso é confirmado em laboratório. Todas as substâncias que causam câncer em animais, automaticamente têm o risco de causar em humanos. Então, por isso aconselhamos a não uso do formol. Na maioria dos casos, o produto é usado periodicamente. Ou seja, é uma exposição crônica e, consequentemente, ainda mais perigosa.

Portal Medicando: Quais outros produtos podem ser considerados cancerígenos?
Dr. Murad: Solvente de tinta, todos os solventes orgânicos. Ele pode eventualmente causar câncer. Principalmente o benzeno, que causa leucemia. As pessoas acham que a tinta causa o câncer, mas na verdade é o que causa é o removedor. Já removedor de esmalte não, porque não tem solvente orgânico, ele é a base de acetona que não é cancerígena. E correntes com base a anilina, mas que hoje são raros, podem causar câncer de bexiga.

Portal Medicando: Quais as pessoas que correm mais riscos?
Dr. Murad: Tanto a cabeleireira quanto o consumidor final correm sérios riscos. A mulher que tem o formol no cabelo, o formoldeido vai sendo absorvido lentamente e a mulher que está manipulando, mesmo que use luvas, inala o produto. O formoldeido acaba sendo vaporizado na atmosfera.

Portal Medicando: Mesmo a quantidade que é permitida pela ANVISA?
Dr. Murad: Na verdade, a ideia é que não seja permitido. O máximo permitido de exposição é de 5 a 10 minutos. Na realidade é uma exposição super rápida, questão de alguns minutos. Mas quem consegue fazer uma escova em menos de 5 minutos? Por exemplo, uma exposição de 15 ou 16 minutos mata um camundongo em dez horas. Então tem que lançar no mínimo 5, no máximo 10. Por isso, o mais seguro é não utilizar.